Interpretação

Pessoal

Interpretações, Significados e Análises de Letras de Músicas

Oceano, de Djavan

     Mesmo quando parece clara, objetiva e simples, uma música sempre tem algo a dizer ou algo que alguém não vai enxergar. Afinal de contas, a música é uma arte! Sempre que procuro entender uma canção, eu tento me prender aos detalhes para ter algo além do óbvio para passar a quem vai ler meus textos. Por isso, eu sempre passo algum tempo analisando uma música antes de publicar algum artigo sobre ela.
     Há alguns dias eu comecei a estudar a música Oceano, de Djavan. E, vejam só, acabei chegando a conclusões surpreendentes. Conclui que o eu lírico da música é, na verdade, uma mulher. Djavan cantar por uma mulher, e não para uma mulher.
     O eu lírico dessa canção é uma mulher apaixonada, digamos, iludida até certo ponto. Assim como muitas mulheres ainda são, a personagem de Oceano é parcialmente dependente do homem que ama. Seus sentimentos figuram entre a linha tênue que separa o amor da obsessão, da loucura.
     Outro fato interessante acerca dessa música está no fato de ela contar uma espécie de história que, embora não tenha início, meio e fim, é bem definida.
     Ela, a mulher, acorda e assusta-se ao olhar para o lado e não encontrar ninguém. Isso implica dizer que ele esperava encontrar alguém ao seu lado. Se esperava que alguém estivesse ao seu lado, muito provavelmente, este alguém deveria ter dormido ao seu lado. É a clássica cena de decepção amorosa. Ela esperava mais do que apenas sexo; já ele não tinha muitos planos e, após conseguir o que queria, foi embora.
     Mas ela o ama e, por isso, ainda tem ilusões, esperanças de que ele volte. A canção como toda é um completo pedido desesperado para que ele volte. Ela diz que sua vida não faz sentido sem ele, que, longe dele, sofre mais do que pode aguentar.
     Ela, então, explana sobre o que seria esse amor. Amar é uma tarefa solitária. Não se pode obrigar alguém a corresponder o seu sentimento. Apenas se ama e amar pode ser um processo doloroso e duvidoso. É como estar perdido num enorme deserto, sem saber aonde ir, sem ter ideia de onde vai chegar, ou mesmo saber se vai chegar a algum lugar.
     Mas todos esses sentimentos, toda essa história, todas essas falas, tudo isso se aplicaria também a um homem. Então, de onde eu tirei que o eu lírico de Oceano é uma mulher?
     Para entender isto, precisamos nos pegar ao refrão:

"Vem me fazer feliz porque eu te amo. Você deságua em mim e eu, oceano, esqueço que amar é quase uma dor."

     Ela o chama, pede que ele volte e a faça feliz, declara o seu amor. Os versos que sucedem fazem referência ao sexo entre um homem e uma mulher. É uma metáfora. Ele é o rio. A sua desembocadura remete-nos à ejaculação. Ela é o oceano, é nela que ele deságua.
     Quando fala-se que amar é quase uma dor, Djavan, muito esperto e poético, finaliza a canção nos fazendo pensar tanto no sofrer, quanto na dor física que nos causa amar e fazer amor.

# Compartilhar

    Blogger Comentario
    Facebook Comentario

7 comentários:

  1. Meeeeeu senhor, kk.

    Eu estava lendo a parte de cima ja todo entusiasmado então pensei:"quando terminar vou perguntar porque ela se auto intitula Oceano e o compara a um rio desaguando nela". Por coincidencia do infinito, sei lá,(claro que nao acredito em coincidencia, rs) você veio e me fez pensar se a sua interpretação de "Há Tempos" é tão superior as suas outras, muito boa mesmo, para mim uma das melhores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guilherme, meu bem, quando eu percebi esse pequeno detalhe, eu devo ter tido a mesma reação que você! Fiquei pensando ainda por um bom tempo antes de publicar esse artigo: "Será que isso tá certo mesmo?".
      Mas, enfim, você falou de "Há Tempos". Há quem odeie e considere aquele como um dos meus piores artigos. Eu gosto da minha interpretação dela (não é a preferida), mas é muito bom saber que você a considera/considerava uma das minhas melhores análises!

      Excluir
    2. Quando eu disse que era uma das melhores me referi à "Oceano", que está muito boa mesmo!(não coloquei o ponto por isso voce nao percebeu)

      Mas "Há Tempos" e "Indios" eu vejo como as suas melhores na minha opinião, eu acho que é porque Indios fala o que eu queria ouvir e Há Tempos é... A não, há tempos é muito show mesmo, rs.
      Até!

      Excluir
  2. Sharon Stillwell5 de abril de 2016 08:02

    This could also be between two men you flow into me and I am an Ocean. I have noticed many of Djavan's songs are very sensual and sexual like Spanish poetry. I've never had the opportunity to study Brazilian poetry, but I do remember having tremendous difficulty in college almost 35 years ago with the sexuality of Spanish poetry, I was a virgin in a family of all girls. How observant of you to notice the ambiguity of that lyric in the song. In an interview Djavan said he never had difficulty with poetry and I do know this was written when he was much younger like in his twenties. I don't know if this was intentional or imparts any special meaning to the song. Many critics have noticed ambiquity in his lyrics. I do know he intentionally and blatantly uses overt sexual metaphors in some of his songs I think it just all comes together. the metaphors and images lend a beauty and sensuality to the song which goes so well with the theme of love and with the warmth and beauty of Djavan's voice.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hi, Sharon!
      I'm so sorry I can't properly answer your comment because of my bad english. Fortunately, I could understand everything you wrote.
      Thank you for spending your time!

      Excluir
  3. Minha Mae foia primeira composicao do cantor onde no eu-lirico Djavan interpreta uma mulher.

    Minha Mãe
    Djavan

    O descampado se via
    E eu de esperar
    Tava morta
    Com jeito de agonia
    Eu me encostava na porta

    A disfarçar a barriga
    Dos risos da fantasia
    Fingindo ter
    Nos meus olhos
    Um sol que nunca podia

    Via passar procissões
    E os velhos nos caramanchões
    ê, ê
    Via passar esses dias
    Como se fossem dobrados
    Ardia em mim
    Esse filho
    Como se fosse pecado
    Filho do pecado

    this is my translation in English:

    My Mother
    The clearing in the distance
    I am expecting a child
    Dead
    In agony I lean against the door
    To hide my belly
    Fantasy of laughter
    Pretending to have
    In my eyes
    A sun I never could
    I see processions pass by
    And the old ones in the Arbors
    It is
    Now the days go by as if they were doubled
    This son burns in me as if he were a sin
    Son of sin

    I respect your opinion did I capture the meaning of this poem in my translation? How would you translate or what do you think the author is trying to say?

    ResponderExcluir
  4. Here's a clearer interprtation:

    The clearing was in sight
    And I was dead from waiting
    In agony, I leaned against the door

    To hide my belly
    From the laughter of fantasy
    Pretending to possess in my eyes
    The sun I could never have.

    I saw processions passing
    And the old men in the arbors
    'Tis 'tis
    I saw those days pass
    As if they had doubled

    That son
    Burned in me
    As if he were sin
    Son of sin.


    ResponderExcluir

-Todos os comentários estão sujeitos à moderação da administração do Blog Interpretação Pessoal;
-Para ter seu comentário publicado sem maiores problemas, recomendamos que leia a Política de Comentários do nosso blog.