sexta-feira, 20 de maio de 2011

Daniel na Cova dos Leões

     Já falei sobre a música Daniel na Cova dos Leões aqui no blog, inclusive foi esse o primeiro post do Interpretação Pessoal. No entanto ainda tenho pesquisado sobre essa canção por uma razão simples: grande parte das pessoas acha que essa música retrata uma relação homossexual, mas eu não!
     Bem, eu admito que é até fácil sugerir que a letra fala da homossexualidade e, como muitos dizem, foi a primeira letra na qual Renato Russo mostrou suas tendências homossexuais. Eu mesma, assim que vi a letra de Daniel na Cova dos Leões convenci-me de que se tratava de um relacionamento homoafetivo. Mas algo não se encaixava: o título.

     Por qual motivo sobrenatural o Renato Russo escolheria o título de uma parábola blíblica para uma música que relata um relacionamento homossexual? E a resposta é: não escolheria.
     Daniel na Cova dos Leões tem esse nome pelo simples fato de tratar da parábola de Daniel na Cova dos Leões. E o objetivo deste post é, não só provar a minha visão sobre a letra, como também mostrar as evidências que me levam a desacreditar na teoria homossexual desta canção.
    A idéia de que a música relata um relacionamento homoafetivo inicia-se já nos primeiros versos, onde Renato Russo diz: "Aquele gosto amargo do teu corpo ficou na minha boca por mais tempo. De amargo, então salgado, ficou doce assim que o teu corpo forte e lento fez casa nos meus braços e, ainda leve e forte, cego e tenso, fez saber que ainda era muito e muito pouco."
     Os aderentes das idéias homossexuais nessa canção diriam que o ato relatado nos versos acima citados é o sexo oral, e eu, apenas para variar um pouco, digo que não. Prestando bastante atenção nos detalhes percebe-se: "De amargo, então salgado, ficou doce assim que o teu cheiro forte e lento fez casa nos meus braços". Isso significa que o gosto amargo do tal corpo ficou na boca do dito eu lírico em um momento anterior, no qual o tal corpo foi embora, e que as oscilações de sabores para salgado e doce ocorreram na volta do tal corpo. Portanto, as oscilações de sabores não decorrem do sexo oral, já que, para tanto, seria necessário que tais oscilações decorressem no instante exato no qual foi realizado o ato sexual.
     E a explicação para tais versos? Simples! "Aquele gosto amargo do teu corpo ficou na minha boca por mais tempo" refere-se à uma mágoa sentida pelo eu lírico (O rei da Babilônia, Dário) em relação à segunda personagem desta canção (Daniel).
     Para quem conhece a parábola bíblica tudo já vai ficando mais claro: quando Daniel, judeu convicto, desobedeceu as ordens de Dário de não cultuar nenhum homem ou Deus num período de trinta dias, este ficou bastante ofendido e triste por saber que Daniel, a quem pretendia eleger vice-rei, não o havia respeitado. Daniel deixou na boca de Dário um gosto amargo.
     E, tendo descumprido uma lei, Daniel teve sua punição: foi lançado à cova dos leões. E permaneceu lá durante uma noite inteira, enquanto Dário mal dormia, mal comia, mal respirava. No entanto, o Deus de Daniel o salvou e não permitiu que os leões sequer chegassem perto dele. Pela manhã, Dário foi até a cova dos leões e viu que Daniel permanecera intacto com a ajuda de seu Deus judeu. Então, o gosto amargo que Daniel havia deixado na boca de Dário foi, aos poucos melhorando: ficou salgado e, finalmente, doce, pois Dário sabia que, apesar de tê-lo desobedecido, Daniel estava certo quanto ao seu Deus.
     A mágoa que Dário sentira desapareceu assim que viu Daniel vivo ("De amargo, então salgado, ficou doce, assim que o teu cheiro forte e lento fez casa nos meus braços").
     A partir de então, Dário sentiu confiança em Daniel. Adotou o judaísmo e declarou que todos do seu reino deveriam cultuar o Deus de Daniel, mesmo sabendo não ser isso o que os seus súditos conheciam como certo. Passou a confiar os seus segredos a este homem, como já era seu plano inicial de tornar Daniel vice-rei.
     E, mesmo tornando-se judeu, algo considerado para aquela sociedade, até certo ponto, como errado, Dário não se sentia inseguro, pois tinha presenciado o milagre daquele Deus. Entendia também a temencia de Daniel, que orava, literalmente religiosamente, todos os dias, três vezes ao dia. E isso também não o deixava confuso.
     Até aqui, tudo bem. Mas outro ponto polêmico da canção diz: "teu corpo é o meu espelho e em ti navego. Eu sei que a tua correnteza não tem direção".
     Outra vez, os adeptos da teoria de que Daniel na Cova dos Leões trata-se de um relacionamento homossexual, interferem na minha análise e interpretação desta letra. Diriam eles: o espelho reflete o corpo, um reflexo igual, idêntico. E homo quer dizer igual. Portanto, um relacionamento com uma pessoa do mesmo sexo. Mas esses mesmos versos, na minha visão, significam que Dário, a partir de então, se espelhará na imagem de Daniel, temente ao Deus vivo, mesmo sabendo que nunca poderá ter absoluta certeza, apesar de estar convicto, de todos os poderes de tal Deus, mesmo sabendo que não é um rumo certo, uma rota precisa.
      E então o Renato finaliza com os versos que mais gosto e admiro nessa música e que jamais se encaixaria em qualquer teoria homossexual que fosse. Ele canta: "Mas tão certo quanto o erro de ser barco à motor e insistir em usar os remos, é o mal que a água faz quando se afoga e o salva-vidas não está lá porque não vemos".
     Passei horas, dias, semanas tentanto entender esses versos. Versos de significados simplérrimos, onde a substituição de palavras é fundamental. Renato Russo com o seu brilhantismo queria dizer que, ainda que Dário não soubesse os rumos da religião, a seguiria, pois como é um erro que você tenha talento para vendas e insista em ser um artista plástico ("tão certo quanto o erro de ser barco a motor e insistir em usar os remos"), é também um grande erro e nos faz muito mal não acreditarmos em Deus, apenas por não o vermos ("é o mal que a água faz quando se afoga e o salva-vidas não está lá porque não vemos").
     Enfim, é "apenas" isso. O verdadeiro significado da canção Daniel na Cova dos Leões é o mesmo da parábola homônima. No entanto, as pessoas têm o péssimo hábito de achar que todas as músicas do Renato Russo falam de drogas, depressão e da homossexualidade, apenas por ele ter esses elementos em sua imagem.

Sobre a Autora:
Thamirys PereiraThamirys Pereira tem catorze anos, é aluna do curso integrado ao ensino médio de Controle Ambiental no IFPB e idealizadora do Blog Interpretação Pessoal.

Continue lendo sobre Thamirys Pereira ou Sobre o Blog Interpretação Pessoal.

81 comentários:

  1. Put'z .. Um puta texto nota 10 ! Acho que Renato deixa em algumas músicas essa tal "parábola anônima" em evidência, mas conforme você vai conhecendo o que ele quer dizer você acaba entendendo o que a música significa pra si mesmo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achei interessante o ponto de vista de Thamirys,porque eu não havia enchergado por esse lado,mas sinceramente tbm acredito na hipótese dele se referir a homossexualidade sim.Porém vc está de parabéns por nos fazer refletir de um jeito diferente.Bjs

      Excluir
  2. Parabéns, fiquei achando q a música se referia ao homosexualismo, mas, a legião urbana tem músicas excelentes com letras reflexivas, então realmente não era essa introdução, e ele também não daria esse título tratando de outros assuntos, realmente esse post ficou muito legal, ótima a interpretação que você fez pra si mesmo, parabéns!!!!

    ResponderExcluir
  3. maravilhosa interpretação, sera em breve um Arnaldo jabor.....

    ResponderExcluir
  4. Aquele gosto amargo do teu corpo ficou na minha boca por mais tempo. De amargo, então salgado, ficou doce assim que o teu corpo forte e lento fez casa nos meus braços e, ainda leve e forte, cego e tenso, fez saber que ainda era muito e muito pouco."


    velho ele ta falando de cocaina....

    a quele gosto amargo do seu corpo(o corpo amargo q ele fala nesse trexo eh da coca,

    De amargo, então salgado, ficou doce assim que o teu corpo forte e lento fez casa nos meus braços e, ainda leve e forte, cego e tenso,(aqui ele ta falando da pira do pó bom eu n sei como q eh mas eh ctz q ele ta falando de sensação q a droga traz...)
    fez saber que ainda era muito e muito pouco." (bom aqui ele ta falando da quantidade quando o cara chera muito ele pensa q vai ficar susse que já uso muito mas depois da vontade de usar mais pra n ficar em depreção....

    foi mal ae se eu n me expressei direito mas espero que eu tenha contribuido hehe...

    ResponderExcluir
  5. Já li muito a respeito da teoria que fala que essa música diz respeito ao uso de drogas também. E eu realmente não consigo acreditar nela. Em alguns versos separados essa teoria se encaixa bem, mas na música toda, não...
    De qualquer forma, toda opinião é válida e bem-vinda.

    ResponderExcluir
  6. Acho que essa canção trata dos dois temas ao mesmo tempo...

    ResponderExcluir
  7. cara parabéns eu sou evangélico e queria muito saber o porque ele escolheu a parábola de Daniel como titulo ja que eu não via ligação mais vc achou parabéns que Deus te abençoe

    ResponderExcluir
  8. Trecho do livro Renato Russo de A a Z
    Nunca perguntei a eles [os outros componentes da Legião] o que
    achavam das letras. Não queria ficar indefinido como Stipe [REM] ou
    Morrisey [The Smiths]. Mesmo assim, as pessoas confundem. Maurício
    não é uma música gay. O personagem fala na primeira pessoa. E isso não
    surgiu com Meninos e meninas. Daniel na cova dos leões, do segundo
    disco, já falava sobre sexo oral. (1995)

    Jean

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também li. E é exatamente isso, infelizmente é uma música com tema bíblico porém instintivamente gay!

      Excluir
  9. Anônimo/Jean,
    Claro, claro, as entrevistas do Renato... Não é o primeiro a me lembrar delas.
    Ele também havia dito (não numa entrevista, mas na gravação de um CD) que a música Giz fala de sua infância. Eu, pessoalmente, não acredito em quase nada do que o Renato Russo dizia sem estar cantando, apesar de entender que a canção não trata absolutamente da parábola de Daniel e que também tem elementos homossexuais.
    A música em si seria uma crítica à religião que condena o relacionamento homossexual. Mas isso é assunto pra outro post.
    Obrigada pelo seu comentário!

    ResponderExcluir
  10. Thamirys, bom dia!
    Você é meio contraditória, você diz no começo do post que não acredita que a musica trata de homossexualismo mas no comentário a cima você coloca "apesar de entender que a canção não trata absolutamente da parábola de Daniel e que também tem elementos homossexuais".
    A música faz sentido se tratando de homossexualismo e o Titulo é uma comparação com o Daniel da parábola onde ele foi preso por crer em algo que os mais poderosos não criam, sendo assim R. Russo colocou este titulo para mostrar como se sentia, ele se comparou a Daniel, como?! Ele se compara a Daniel por ele crer num amor homossexual e se sentir rejeitado porque a religião não permitia e também a população não aceitava e era preconceituosa, assim sendo ele se sentiu trancado em uma jaula, sem poder expressar seus sentimentos...

    Jean

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito boa sua colocação Thamirys! Acredito sim que ele escreveu essa letra com esse sentido citado por você, uma letra simplesmente bíblica aos olhos de quem não sabia que ele era homossexual. Mas a partir do momento que nós passamos a saber de sua homossexualidade ficou claro também, mas a intenção dele foi causar essa ambiguidade e você acertou na mosca mostrando esse lado bíblico da letra que eu mesmo não havia notado, principalmente a história de Daniel, já a intenção do Renato foi abordar os temas religiosidade e homossexualidade. Isso mostra como Renato era um mestre na arte da escrita e musical também, viva Renato Russo e parabéns pra você Thamirys.

      Excluir
  11. Jean,
    veja bem, sou contraditória, sim! O que acontece é que toda interpretação que faço aqui é uma defesa de um ponto de vista. Neste post defendo a ideia de que a música não trata da homossexualidade nem do uso de drogas (fiz isso pq procurando na net, só encontrei essas teorias). Há muita coisa que eu deixei de falar sobre essa música. O que eu entendo é que o Renato Russo não era unilateral. Ele era um personagem redondo, digamos assim. Ele não falava apenas sobre uma coisa. Pessoalmente, independente do que publico aqui, essa música trata da ironia que ele usa ao relacionar a relação de Daniel e Dário com a dele e algum companheiro/namorado. O objetivo desse blog não é exatamente expor a minha opinião sobre a canção, mas expor uma das muitas interpretações que eu possa fazer sobre uma música. Tanto é que há posts onde publico mais de uma interpretação sobre uma mesma música.
    Eu vejo muito bem sua interpretação, acredito nela também, talvez até faça um post sobre como eu posso estar errada nessa interpretação. E depois até faça uma interpretação sobre a relação da canção com o consumo de drogas.
    Entenda, isso não é o que eu penso, é o que pode-se concluir...

    ResponderExcluir
  12. Cara Thamirys, tb sou evangélico e curtir muito sua interpretação sobre a letra, sempre gostei da legiao urbana.

    ResponderExcluir
  13. Thamirys Pereira

    Eu acho que a sus interpretação tem mais a ver com a musica
    começando já pelo nome, é uma letra que confunde mesmo mais
    eu acredito que sia interpretação seja o que a musica diz!!!
    Parabéns !!!!

    ResponderExcluir
  14. Já ouvir várias interpretações sobre essa música...mas essa pelo lado Bíblico é perfeita linda demais!

    ResponderExcluir
  15. Era só o que faltava.. o proprio Renato dizer que a musica fala sobre sexo oral e voces nao acreditarem nele...

    ResponderExcluir
  16. Querida Thamirys,
    Eu concordo e discordo desta sua reflexão pois, não seria possível o Renato ter feito esta música sobre a parábola como vc mesmo diz e ao mesmo tempo usá-la para dizer sobre seus medos, dúvidas e convicções homossexuais? Quem pode dizer?? Daniel estava preso na cova dos leões como muitos homossexuais estão presos em suas próprias tendencias...

    ResponderExcluir
  17. tem alguma entrevista dos autores da musica a respeito disso?

    ResponderExcluir
  18. acho que já que o próprio renato fala que é sobre sexo oral não tem como dar outras interpretações. um fato interessante é sempre analisar pela ótica do momento que ele escreveu a letra, como essa foi no começo da carreira axo que ele ainda não estava no vício das drogas, no qual por exemplo é mais fácil identicar no "cinco" onde ele estava mergulhado nas drogas, inclusive a música "a montanha mágica" fala só sobre o vício dele nas drogas. Então concluo que a musica é sim sobre homosexualismo e provavelmente ele utilizou o título para fazer uma analogia com a vida dele naquele momento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido anônimo, obrigada pela sua opinião, muito bem-vinda aqui! Só algumas ressalvas: "A Montanha Mágica" não fala exclusivamente sobre o vício nas drogas, e não é homossexualISMO, mas homossexualIDADE. O prefixo ISMO é geralmente usado para designar doenças, e atrair-se pelo mesmo sexo não é doença.
      No mais, obrigada.

      Excluir
  19. eu acredito no Renato Russo se ele diz que eh sobre sexo oral eh pq eh sobre isso e pronto.amooooooooooooo Renato russo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, acho que quem acompanha o blog sabe que não é você o único por aqui que não apenas admira o Renato Russo, mas ama, como eu também.
      Recomendo que leia os comentários acima, onde explico que esta é uma versão de uma música, o que não significa que eu realmente acredito nela, nem que esteja certa.
      Como já disse muitas vezes por aqui (o que acredito você não tenha visto), não estou preocupada em estar certa ou errada, nem em apresentar uma corrente de pensamento que explicite o real significado de uma música.
      Sugiro que leia a página "Política", onde explico da finalidade deste blog. E sugiro ainda que, caso não esteja, ainda, totalmente satisfeito, se retire, não apareça mais por aqui e crie o seu próprio blog, onde poderá mostrar toda a sua influenciabilidade, originalidade e seu "pensamento" com propriedade...

      Excluir
  20. O próprio renato falou que era sobre relacionamento homo. Foi com ela e soldados que ele saiu do armário, inclusive.A frase"teu corpo é meu espelho e em ti navego" é bem clara. dois homens. GIuliano Ruchinsque

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não rejeito a teoria de que a música fale de um relacionamento homoafetivo. Aliás, pra quem lê os comentários, fica claro que eu creio que a música nada mais é do que uma crítica, não à religião (Renato não era desses), mas a aquelas pessoas que, geralmente extremamente religiosas, criticam a homossexualidade.
      E quer modo melhor de criticar estas pessoas do que fazer alusão de uma parábola bíblica com um relacionamento homoafetivo?
      Acontece que, neste texto, como faço em quase todos os meus textos, não quis expressar verdade, nem que é esse o real significado da música. Eu não as interpreto realmente! Não se interpreta arte pq esta já é uma interpretação da vida! Eu apenas argumento em razão de uma teoria. Sobre essa música, inclusive, iria postar mais dois artigos... não vou mais.
      Então pq argumentar em torno de que "Daniel na Cova dos Leões" não fala da homossexualidade? Será que sou religiosa demais para isso?
      De modo algum! Acontece que as pessoas estão muito acostumadas a digerir pronto o que o Renato dizia. É preciso pensar... Renato Russo tbm disse que "Sereníssima" se chamava assim por ter um ritmo rapidinho. E que "Giz" falava sobre a infância no Rio de Janeiro (o que não deixa de ser), mas não é apenas isso!
      Pensem!!

      Excluir
  21. Sinceramente eu prefiro acreditar na ambiguidade da música simplesmente pelo fato de haver relatos do próprio Renato quanto a algumas músicas se referirem a sua homossexualidade. De forma sutil, ele realmente descreve uma relação homoafetiva sim, provavelmente o ato carnal que confirmou o seu gênero, a descoberta em efetiva. A genialidade dele consiste em instalar essa já citada ambiguidade como escudo para um suposto questionamento sobre sua sexualidade, pois convenhamos, na época de criação da música a sociedade era bem mais conservadora e intolerante que nos dias atuais.
    No mais, ótima interpretação! Eu, na minha perspectiva, interpretei em função de um momento em que estava gostando de uma mulher casada, de ter tido relações com ela e talz. O fato que me baseei foi a imoralidade de cobiçar a mulher alheia e do adultério em si. Apesar de estar sentindo que estava fazendo algo errado, estava gostando da situação. Enfim uma situação encarada como imoralidade, sendo que pra alguns tão intensa como a homossexualidade. Na minha visão se encaixou perfeitamente. =D

    ResponderExcluir
  22. Que tendência a manter a ingenuidade Thamirys, a esticá-la para além do devido. Por que? Por dois motivos, para preservar a doce ilusão de um mundo onde a maldade e as desavenças são afinal das contas em número e intensidade inferior ao Bem, que sempre prevalece, e para evitar de tomar uma atitude, que acredito seja o que mais assusta. Quem teme a luta e o confronto prefere a ingenuidade. Quem não se sente capaz de aguentar a vida, também.

    A ingenuidade tolhe muita gente inteligente de ser responsável, palavra que significa saber dar respostas condizentes às situações que se apresentam. Acaba-se por ter um juízo distorcido, insistindo na bondade de tal pessoa ou na possibilidade “que as coisas melhorem” quando ao olhar objetivo e realista o passado e o presente já deram indicações suficientes do que está acontecendo e do que é provável que aconteça. Queremos manter acesa a chama da esperança? Sim, religião é a muleta essencial da natureza humana, da qual ele - homem, não consegue viver sem.

    Já disse o Mestre:
    -Deus está morto e não foi eu quem matei.
    Karl Heinrich Marx, revolucionário seguido e idolatrado por Renato Russo.

    Acho que não preciso trancrever aqui a letra de Fátima né Thamirys?

    G. K.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É tão absurda a imagem que as pessoas fazem de mim! Não te culpo, amigo, por esse erro em relação a minha personalidade. É natural, já que não me conheces e nunca ouviu sequer uma palavra da minha boca. Mas não, não me julgue.
      Não é tendência a manter a ingenuidade, G. K.. E, por não ser, não podes dizer se quero ou não preservar uma ilusão de minha mente, ou ainda dizer o que me assusta.
      Pela interpretação, pelo texto que escrevi, creio que tu aches que sou uma religiosa fanática, católica fervorosa... Não que seja de alta relevância, mas saiba que, além do dia do meu batizado (aos nove meses de idade), nunca frequentei, nestes quinze anos de vida, nenhuma igreja e nem preciso.
      Que a religião é um apoio? Não tenha dúvidas! E, embora creia em algo diferente da maioria, não sou descrente, tenho a minha própria corrente religiosa.
      Quanto à Marx, não me importa se Renato Russo o idolatrava. Eu não idolatro o Renato, apesar de o amar, e não penso como ele.
      Quanto à "Fátima", você deveria ver a interpretação desta música aqui no Blog e também, se assim preferir, no blog de um amigo:
      http://olivrodosdias-interpretacao.blogspot.com.br/2012/01/interpretacao-fatima.html

      Acho que não preciso transcrever aqui a letra completa de "Natália" né, G.K.? Mas alguns versos te ajudariam a pensar:
      "É preciso acreditar num novo dia, na nossa grande geração perdida, nos meninos e meninas, nos trevos de quatro folhas..."

      Excluir
  23. Thamirys tenha dignidade definindo uma linha de honestidade e ação correta baseada na justiça e nos direitos humanos, construída através de uma reputação moral favorável ao indivíduo. Respeitando todos os códigos de ética e cidadania e nunca transgredindo-os, ferindo a moral e os direitos de outras pessoas; assim sendo publicando esses meus comentários que são isentos de qualquer tipo de ofensividade, não sendo mal intencionados, tendo como único propósito a reflexão ok?

    Obrigado,
    G.K.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos, indiscutivelmente, todos os comentários deste blog estão sujeitos a moderação. Publico quando tenho tempo, quando os vejo.
      Mas tu tens um tom de acusação tão grande em tuas palavras!
      É difícil que alguém cobre liberdade de opinião quando não dá a cara à tapa. É estranho!
      Falas de ferir a moral e os direitos de outras pessoas. Pergunto-me, em retórica, que estais fazendo agora que não julgar-me e, sem coerência, acusar-me de coisas desnecessárias e, acima de tudo, absurdas?
      Sugiro que repense o que tem a dizer, amigo.
      Sugiro que leia mais, visto que a moderação de comentários é explicitada.
      Sugiro, por fim, que você, acabe respeitando os outros.

      Excluir
  24. Não concordo absolutamente em nada do post! É um esforço imenso de procurar uma interpretação que não seja sobre a "monstruosa" homossexualidade.
    Mas enfim, liberdade de expressão é isso, nem sempre vamos ler(ouvir e ver) coisas que gostamos.

    ResponderExcluir
  25. Thamirys,

    Minha opinião... Ok?rsrs A canção se refere a uma relação homossexual. Mas aí você me pergunta. Porque Daniel na cova dos leãos?? talvez apenas pela última frase... apenas um detalhe...por uma antitese... algo que ele procurou, mas infelizmente não descobriu... o Senhor. Irei destrinchar..rs

    Mas, tão certo quanto o erro de ser barco
    A motor e insistir em usar os remos...
    Ele sabia do seu sentimento, poderia ser intenso. Mas não era. Por medo...

    É o mal que a água faz quando se afoga...
    A água aqui seria o amor... O medo de amar demais... e se machucar...

    E o salva-vidas não está lá porque não vemos.
    Aqui o salva-vidas é o Senhor... Mas ele não viu ... (engraçado que ele aqui usa o termos nós). Uma antitese, como te disse no começo. Porque ele não viu, mas o profeta Daniel viu e teve fé... E o Senhor foi o seu salva vidas, o salvou da cova dos leões...

    Fica claro que o Renato buscava, lia as escrituras. Mas infelizmente não consegui encontrar o verdadeiro Deus vivo...

    Espero que tenhas gostado da minha interpretação,

    Abração,
    Rodrigo
    rodrigo_orkut@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rodrigo!
      Este post tava precisando de um ar mais amistoso, e você deu a ele o que precisava...

      Enfim, gosto bastante da tua interpretação. Mas discordo quando diz que acha que o eu lírico (seja o Renato ou não) não descobriu o Senhor. Eu entendo a razão de ser "Daniel na Cova dos Leões" como se ele quisesse contestar o fato de a religião criticar o relacionamento homossexual.

      Acho realmente que o que o Renato quis dizer é que amor não faz mal a ninguém, seja amor de qualquer tipo... E pra ilustrar que está certo, usa a parábola de Daniel e Dário, que não era uma relação homoafetiva, mas uma relação homoafetiva tem muito do que tinha entre Dário e Daniel.

      Quando fala de "tão certo quanto o erro de ser...", creio que queira dizer que não se pode esconder o desejo pelo mesmo sexo. É um erro querer ser quem você não é. E quando diz "é o mal que a água faz...", creio que quis passar que é um erro ainda pior não ver isso.

      Acho que nem discordo tanto assim de você. Creio que o que tu disses esteja certo e, junto a isso que exponho, esteja completo. Ele sabe que é errado, mas tem medo de amar, de se machucar. E quando ele usa "nós", creio que se refira não somente a ele e com quem se relaciona, mas também a tantos outros que nem conhece e passam por essa situação.

      No mais, abraços, meu caro! Seja sempre bem-vindo!

      Excluir
    2. Thamirys,

      Peço desculpas... Pois fui inconcluso em minhas observações. Só destrinchei o final. Agora farei a minha interpretação por um todo.
      Na minha opinião, (retendo minhas considerações anteriores)a musica não gera nenhuma critica ou contestação religiosa. Apenas um conflito...sim um conflito humano, um conflito dele. Entre os sentimentos (o que ele sentia) versus o seu eu espiritual. Fica evidenciado isso, só pelo nome da musica " Daniel na cova dos leões" era como ele se sentia no momento que escreveu a canção (Em uma cova com os leões...). Te digo com propriedade que neste momento de sua vida, ele procurou as escrituras... Procurando respostas para seus conflitos. Achou o parabola de Daniel...
      Te disse que fui inconcluso com você, quando disse que ele não encontrou verdadeiramente o Deus vivo. Ficou parecendo que ele não cria em Deus, então te passei um falsa observação. Ele acreditava na existencia de Deus. Pois "E o salva-vidas não está lá porque não vemos". Ele não disse que o salva vidas não existia... ele só disse que não o via. Entende?? Ele acreditava...
      Todos nós temos conflitos, somos humanos, neh.
      Creio que ele tenha refletido muito com a parabola. Pois, Daniel como tu sabes, foi criado no pensamento caldeu (babilônia). Mas nenhum momento mudou seus costumes, habitos, sentimentos ou fez algo que desagradou a Deus. Apenas serviu e foi homem de muita fé... E o Renato entendeu bem isso... Sabe, as vezes queremos que Deus se adapte aos nossos costumes, habitos, sentimentos e a outras coisas. Mas Deus é Deus... Deus nunca vai se adaptar a nada. Sua palavra é uma só. Somos servos e se queremos servir verdadeiramente, devemos mudar nossos habitos, sentimentos, costumes. Se fizermos isso teremos verdadeiramente esse encontro com o Deus Vivo. Mas nem sempre acontece isso a todos...
      Pode ser uma escolha díficil, mas falo com toda propriedade que vale a pena...
      Cada um faz as suas escolhas... e sofre as suas consequencias...
      Thamirys, obrigado pelo espaço...
      Valew!
      Rodrigo

      Excluir
    3. Então, Rodrigo, acho que faz sim, muito sentido sua teoria, mas há algo que você precisa ter cuidado. Creio que o eu lírico não seja o Renato, apesar de o Renato se encaixar bem nele. Sempre que interpretamos poesia, precisamos estar atento a não confundirmos autor e eu lírico. Algumas vezes eles são a mesma pessoa, mas isso não se pode afirmar nunca, se você não for um deles.
      Enfim, obrigada! =D

      Excluir
    4. Ok.. Thamirys.
      Atentarei-me a sua dica.
      E você mantou a charada do "nós"...
      obrigado
      Rodrigo

      Excluir
  26. Olá Thamirys!

    Fiquei muito feliz quando terminei de ler seu post, que me foi sugerido pelo meu tio que achou legal a interpretação que foi dada a canção por você.A felicidade vem do fato de você, ainda que jovem, estar tão envolvida com questões tão construtivas, o que é coisa rara, infelizmente, para pessoas na sua faixa etária.

    Quanto ao Renato Russo, não sou sua fã, sou fã da sua inteligência. No que diz respeito as sua músicas, duvido muito que ele não acreditasse em Deus, pelo simples fato de haver muitas citações bíblicas em suas músicas. Entendo que ele acreditava até mesmo contra a própria vontade, e que as suas músicas são reflexo desse conflito.

    Se ele está falando de si mesmo ou não, não faço ideia, mas acho complicado que se utilizem as suas músicas para levantar bandeiras por causa da sua opção sexual. Dizer que ele não acreditava em Deus por questões pessoais, como foi subentendido por aqui, complicado. Mas complicado ainda é querer falar por um morto.

    Bom não vou me aprofundar, o que ele queria dizer ou não com as músicas pertence apenas a ele, nós só podemos fazer como você tem feito, tentar entender.

    Enfim, acho legal sua iniciativa de interpretar as canções, bastante interessante. Estamos numa época em que as músicas são tão explícitas quem não fazem ninguém pensar, provavelmente essa é a intenção. Então querida, vai nessa tua força, faça aquilo que você acredita e se prepare para os ataques fundamentalistas, pois eles são profundos como um prato e afiados como uma navalha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Dominique!

      É como uma grata recompensa que recebo comentários como o seu. Fico muito feliz, não unicamente por este comentário - que está dentre os melhores que já recebi por aqui -, mas também por ver que entendeu perfeitamente o meu propósito.

      É realmente complicado, até mesmo pretensioso, falar por outrem, ainda mais quando essa pessoa está morta. Por isso sempre me estendi a falar coisas que eu ache que podem fazer algum sentido. Se eu estou certa? Confesso que acho 99% das minhas interpretações não fazem jus ao que o artista quis dizer. Mas não é isso o que importa!

      O que eu faço aqui é legítimo porque o que quero não é estar correta, mas estimular o pensamento sobre a obra de grandes artistas que eu admiro. Queria que as pessoas pensassem um pouco acerca das coisas. E, bem, pelos comentários aqui, acho que consegui...

      No fim, muito obrigada pelo seu comentário. Agradeça também o seu tio.

      P.S.: Dominique é um nome lindo!

      Excluir
  27. Bom, o próprio Renato disse se tratar de uma temática homossexual!

    ResponderExcluir
  28. Muitos dizem que foi dito da própria boca do Renato que a música se tratava de uma questão homossexual. Não sou muito eficaz em pesquisas, mas nunca pude comprovar tal fato; bem que adoraria perguntar a ele, mas Renato havia falecido quando tinha apenas um ano.

    Mas, talvez, sim, esta exímia música (em minha opinião, uma das melhores, se não, a melhor) trate da temática homossexual, trate do uso de drogas ilícitas, da parábola que você desenvolveu.

    Concordo com sua resposta a @Dominique, só ele poderia nos responder; eu gosto de acreditar que ele quis propositalmente deixar em aberto para que pessoas como você realizassem belas interpretações acerca da música.

    O texto é excepcional, parabéns pela sua capacidade de fazer tais interpretações, e parabéns pelo gosto musical, a nossa juventude devia (para começar) ouvir músicas que possuem mais do que simplesmente palavras.

    Gostei muito do blog, mais uma vez, parabéns!

    Matheus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Matheus!

      O Renato morreu e eu nem tinha nascido; também não pude perguntar nada a ele. Mas ele "fala" sobre essa referência ao sexo oral no livro "Renato Russo de A a Z - As ideias do líder da Legião Urbana", como citou mais acima o Anônimo/Jean.

      Pode ser verdade que tenha a temática homossexual, até acho que tenha mesmo. O que me incomoda profundamente é quando vejo que as pessoas creem nisso apenas pelo fato de o Renato ter dito. Precisam pensar por si próprios! Ele também disse que não havia motivo para "Sereníssima" se chamar assim. Basta analisar os últimos versos da canção e veremos que a história não é bem essa...

      Mas, enfim, obrigada pelos elogios! Fico muito feliz com comentários com o seu.

      Excluir
  29. Eu acredito q a musica em si, mostra oq vc quiser ver, prefiro pensar q o Renato era tão fantanstico q conseguil deixar nessa historis um triplo sentido quem sabe?
    Sei q ñ me importo se ele era homosexual, era incrivel em suas letras e concerteza insubstituivel.

    Leonardo garcia

    ResponderExcluir
  30. Pelo que eu pude interpretar, ele aborda um conflito interior entre sua homossexualidade assumida e sua crença religiosa de que isso é errado. Ainda na última estrofe deixa isso claro ao dizer que "mas tão certo quanto ser um barco a motor e insistir em usar remos" (ou seja, apesar de ter nascido homem era homossexual, quando religiosamente falando o correto seria ser heterossexual)e "É o mal que a água faz quando se afoga, e o salva-vidas não está lá porque não vemos" ou seja, tão certo quanto seguir uma sexualidade contrária aos olhos de Deus é que não será salvo por ele.

    ResponderExcluir
  31. Entendo que ele fala sobre seu conflito interior entre ser homossexual e ter que lidar com esse fato aos olhos de Deus. Na última estrofe ele fala exatamente sobre ser o que naturalmente não deveria ser, homossexual, basta ler "mas tão certo quanto ser barco a motor e insistir em usar os remos". E quando ele fala sobre se afogar e o salva vidas não estar lá, é uma metáfora sobre ser reprovado por Deus em virtude se suas escolhas sexuais. Lembrando que ele era de família católica da classe média, na qual tradicionalmente a orientação familiar é reprimir os sentimentos fora dos padrões. Se ele quisesse realmente falar da mesma coisa que a parábola bíblica teria deixado tudo mais evidente, como fez em Que País é Esse?

    ResponderExcluir
  32. homosexualismo o senhor condena assim como sodoma

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o seu Deus condena o amor, ele não merece nenhum respeito. Sem mais.

      Excluir
  33. Quando começam os fundamentalismos religiosos dá até preguiça de ler os comentários. Ainda bem que a diversidade é algo tão intrínseco ao ser humano. Assim, uns conseguem pensar enquanto outros apenas repetem, como papagaios.

    ResponderExcluir
  34. Uma das maiores alegrias de um letrista é poder escrever sobre algo que surgiu em sua cabeça e ver como diferentes pessoas podem interpretar suas letras. É estimular a reflexão do ser humano.
    Renato Russo pode ter escrito sobre um destes temas e depois ter descoberto que sem querer escreveu sobre outro.
    Pode ser que ele nao tenha escrito sobre nada do que foi abordado aqui, mas as pessoas disseram que sim.
    O que me fascina é que depois de tantos anos, as pessoas ainda discutem tanto sobre as letras dele. Preconceitos à parte, esse cara foi um gênio.

    ResponderExcluir
  35. Caramba, d+ essa interpretação! Eu na minha santa ignorancia jamais cheguei perto, valeu, tami!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Anônimo adivinhador de apelidos! ;D

      Excluir
  36. Caramba, sinceramente fiquei impressionado com a profundidade da tua interpretação, mais ainda quando li sobre sua idade, só tenho 17 anos e também tenho essa sede de achar essas "algas marinhas" nas músicas do Renato. So é uma pena que todos insistam em ver só o que lhes toca o nariz.

    Adorei o blog!

    Wellington Monteiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Wellington! Fico feliz que tenha gostado do blog. Mesmo! Qualquer comentário mais ameno é bem-vindo nesse post, já que o clima por aqui não é muito amistoso.
      Muito obrigada!

      Excluir
  37. Olá Thamirys.
    Primeiramente não se deixe abater com os comentários pouco amistosos das pessoas. Vc está em evidência dando sua opinião, ou mesmo, uma "visão dos fatos". A sua visão dos fatos. Já é mais do que os 99% que só criticam.
    Não é a primeira vez que leio a sua interpretação.
    A primeira vez que vi, confesso, achei que se tratava de pura inocência da sua parte (assim como alguns desavisados acima tb acharam). Ao ler os comentários, porém, vi que não. Que seu intuito é apenas de trazer mais uma interpretação ao brilhantismo do autor. E isso me fez inclusive, ler outros posts seus. Mas este me chamou mais a atenção... Realmente todas as interpretações que achamos na internet sobre essa música são limitadas à homossexualidade e às drogas. Trazendo essa nova visão poderia até dizer que vc pôs lenha na fogueira, coisa que achei sensacional, pois tb gosto de fazer. ;)
    Acredito que, sobre a letra da música, na minha opinião não há dúvidas que a questão crucial é uma relação a dois. Lendo mais atentamente, (e conhecendo a história do autor) descobrimos ser uma relação homossexual. E com mais calma, observamos que há sim, traços do uso de cocaína nesta relação (a confusão de gostos após o sexo oral é um sintoma claro). Acredito que a letra não trás versos avulsos. Ela conta uma história. A história desta relação. Nos primeiros versos conta a intensidade dela. Na segunda estrofe conta um pouco mais do dia a dia da relação. E no terceiro é que começa a ficar mais interessante. Pois é ai que começamos a traçar o paralelo com a parábola. No caso, 'O Daniel na cova dos leões' seria como o eu lirico se sente, pois ele se vê como aquele que acreditou na relação, entrou de cabeça nela e enxerga que esta paixão já está em um nível mais do que avançado (o barco a motor), apesar de o outro da relação não acreditar no sucesso da relação e levar menos a sério, não se permitir tanto, não entrar tanto de cabeça assim (insiste em usar os remos). 'O mal que a água faz', para mim é uma comparação com o amor. Que é fundamental para a vida (como a água), mas que obviamente pode fazer muito mal. Por fim, acredito que 'o salva-vidas não estar lá porque não vemos' seria uma "decepção" do eu lirico que, por embarcar em uma relação "não-abençoada pela religião" sente falta deste apoio (apoio que ele acredita e espera, senão não o chamaria de Salva-vidas). É como se ele falasse: Nem Deus me apoia...

    Sobre Renato Russo, mesmo quem não é fã, tem que tirar o chapéu. Indiscutivelmente brilhante. Agora... Se o brilho dele agrada a todos, são outros 500!!!

    Mais uma interpretação ai para discutir...
    Putz, meu post ficou enorme né!

    Grande beijo: Belmiro Mendes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Belmiro!
      Ah, que doces palavras! Muito obrigada, querido. Adorei seu post, mesmo enorme.
      Como todas as interpretações que são sugeridas, há muita lógica na sua. Eu contestaria, no entanto, veja só que ironia!, justamente a parte da parábola. Acho que até pode ser que descreva o relacionamento, mas que a parte do "barco a motor" até o "salva-vidas não está lá" realmente é uma questão do que sente o homossexual, perante uma sociedade preconceituosa.
      Não sei se explico bem, mas creio que é mesmo o fato de ele - e quando digo ele, me refiro a uma série de pessoas - mesmo, quando defronte com todos os obstáculos, questionar sua sexualidade e considerar a opção de ignorá-la.

      Continue comentando! Pessoas sensatas são sempre bem vindas!

      Excluir
  38. aquele gosto amargo do seu CORPO.

    teu CORPO é meu espelho...

    mas, parabens. esse blog é demais

    ResponderExcluir
  39. Primeiramente, parabéns pelo texto. Por mais que eu não concorde com o seu ponto de vista, achei ele muito interessante e, além disso, ficou bem formulado e explicado a sua visão. Bem legal!

    Todavia, ainda acredito que a música trate da homossexualidade. A interpretação dela tratar das drogas eu acho incompleta e forçada mas tudo bem.

    Em 1988,no Maracãnazinho, o Renato Russo falou:
    “Essa [música] agora, é sobre uma coisa que é muito boa, mas que no momento está sendo meio difícil. É sobre sexo“
    logo, acho bem válido achar que a música trata da descoberta da homossexualidade do Renato Russo.

    Há muitas formas porém de se interpretar cada trecho, por exemplo o trecho inicial:
    "Aquele gosto amargo do teu corpo
    Ficou na minha boca por mais tempo.
    De amargo, então salgado ficou doce,
    Assim que o teu cheiro forte e lento
    Fez casa nos meus braços e ainda leve,
    Forte, cego e tenso, fez saber
    Que ainda era muito e muito pouco."
    Não acredito que necessariamente esteja falando de sexo oral de uma forma tão direta e explícita como muitos falam mas talvez somente da descoberta da sexualidade.
    Acredito que, por exemplo, "De amargo, então salgado ficou doce" possa tratar do eu lírico descobrindo como o que parecia estranho, amargo de início (a relação com uma pessoa do mesmo sexo) pode ser bom para ele (agradável, doce).

    Defendo também que não são todas as letras do Renato Russo e nem ao menos todas as músicas da Legião Urbana que falam de sexo, drogas, homossexualidade e etc. Acredito que tenham algumas sim que falam, mas a maioria de longe trata de outros temas: temas sociais, sentimentais.

    Bem, só a minha opinião. Beijos!

    ResponderExcluir
  40. vc contou a parabola, qndo renato russo fez apenas uma analogia, claro q se trata de uma relacao homosexual, o proprio disse isso, e se o proprio disse, nao tem como contestar.
    Agora, musica, a gente pega pra gente, ne. Entao vemos o q nos convem.
    uma vez, um autor sendo entrevistado pelo jo soares, disse q se fosse fazer o vestibular, nao teria acertado uma questao q fizeram com o texto dele.

    ResponderExcluir
  41. Acho que tô meio atrasado nesse mundo de discussões sobre o que quis dizer exatamente o autor da música, nessa letra. Mas acho fantástico essa possibilidade de viajar pelas várias interpretações. Na minha visão tá claro e nítido que Renato quis demonstrar a descoberta da sua homossexualidade e as consequências que isto iria trazer prá ele, inclusive com o parceiro, com a sociedade e com as convicções religiosas. Mas, o melhor e mais gostoso de tudo isso é que o autor cria uma música e quem interpreta somos nós. Essa canção é tão perfeita que nos deixa livre para interpretarmos da maneira que quisermos, pois como foi comentado acima, hoje é impossível que o autor nos esclareça essa dúvida. Parabéns pelo blog, Thamirys.

    Paulo Cesar

    ResponderExcluir
  42. Vejo que as discussões foram extensas,não conheço muito bem a letra da música,portanto não posso julgar nada dela,uma coisa que eu aprendi é que quando somos ignorantes de tal assunto,devemos apenas analisar as opiniões e estudar para que a nossa opinião seja formada,entretanto,ninguém forçou a ninguém a concordar e muito menos entrar no blog...
    Não vejo a autora do blog como alguém que quer mudar a opinião,mas sim uma POSSIBILIDADE,o interessante foi o uso dos argumentos,mas não quer dizer que seja isso... Argumentar é importante,toda tese ou afirmação é obrigatório o argumento,todavia é intolerável pessoas se manifestarem para ''atacar'' a autora,como ela mesmo disse,é uma hipótese. Sem mais...

    ResponderExcluir
  43. Desde quando Renato escondia ou se torturava com sua escolha sexual ???? Ele nunca se importou com a opinião da sociedade, pois sempre a achou hipócrita demais!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nào acredito que a questão fosse somente a sociedade, mas ele mesmo.

      Excluir
  44. Menina, tu tens 14 anos e consegue analisar uma letra de música com essa lucidez, devo supor que te sintas um tanto deslocada entre os demais da tua geração. Espero que tenhas amigos que compartilhem e valorizem essa tua inteligência e discernimento. Mas... tenho que discordar do teu ponto de vista. Não nego a genialidade do Renato Russo e acho, como tu, que a estrofe final dessa canção é maravilhosa. Estou, certamente, longe da cegueira de tentar encontrar sublinhas homossexuais em todas as canções da Legião Urbana.
    No entanto, o que me parece subentendido nessa letra é que Renato se sentiria oprimido, como o Daniel da parábola, pelos leões, que nesse caso são os preconceitos e estereótipos que a sociedade cria, e antes de assumir a própria homossexualidade com certeza e segurança, ele provavelmente se sentia preso numa cova e tinha medo de ter medo de ter medo... creio que tenha conteúdo homossexual, mas não relate um caso afetivo, e sim uma reflexão pessoal e um desabafo, como se ele falasse tudo isso pra si mesmo, tentando se convencer que não devia ter medo ser o que ele realmente era.

    ResponderExcluir
  45. Eu realmente acho que sim, pode se tratar de uma relação homossexual, mas não necessariamente efetiva. Quero dizer, as letras do Renato Russo nunca são assim, de tão fácil compreensão. Daniel na Cova dos Leões, principalmente, foi uma música que sempre me complicou bastante, e eu pesquisei também muito sobre ela. Sabe, às vezes as coisas estão além de nossos olhos, então, depois de ler isso, eu realmente comecei a pesquisar ainda mais afundo.
    Essa foi uma música que eu realmente acho que você não analisou com tanta lucidez, e poderia ter ido ainda mais afundo. Você chegou a ler a própria Parábola e comparar ela com algo nesta música? Daniel foi jogado na cova, e ele estava com medo, tenso, incerto. Daniel é inocente e é colocado no meio dos leões, e neste caso, os leões são os medos, as incertezas - na minha visão -, e isso o devora por dentro, digo, algo que vai o matar.
    Só que, como na parábola, os leões não devoram Daniel, Daniel acalma os leões. E acho que é isso que a música diz. Não para "ter medo de ter medo de ter medo", quer dizer, no fim é tudo certo se você acha certo.
    Essa é a opinião de uma garota de 13 anos contra sua. Veja o que quiser na letra, ou o que entender, mas a minha opinião é essa. Tenta escutar a música uma vez, tentando ouvir isso.
    E eu gostaria, realmente de manter uma discussão "cabeça" sobre temas assim, mas...

    ResponderExcluir
  46. Na boa, a musica realmente parece ser, por todos os argumentos apresentados por quem acredita na versão homossexual, a descrição de atos ou ritos homo afetivos, sinceramente não sei se a ejaculação masculina é amarga, salgada ou doce, quem já provou pode me responder, só Deus sabe a verdade agora, já que o Renato não está entre nós há muito tempo, o fato é que essa música possui uma das melodias mais empolgantes da Legião Urbana, a letra é bem construída e talvez nuca saberemos quem está certo, mesmo assim gostei muito de seu post... Abraços!

    ResponderExcluir
  47. PARABÉNS THAMYRIS! QUEM DERA SE TODOS DA SUA IDADE TIVESSEM A SUA PERSPICÁCIA E INTELIGÊNCIA...
    E FOSSEM CONHECEDORES DA PALAVRA DE DEUS COMO VC É.
    SÓ UMA COLOCAÇÃO: DANIEL NA COVA DOS LEÕES NÃO É UMA PARÁBOLA, É UMA HISTORIA VERÍDICA DO ANTIGO TESTAMENTO, OCORREU REALMENTE.
    ACHO QUE CABE A DEUS JULGAR A CONDUTA DE CADA UM E NÃO CABE A QUALQUER PESSOA JULGAR A DO RENATO, O MAIOR POETA DA MUSICA POPULAR BRASILEIRA!

    ResponderExcluir
  48. Parabéns THAMYRIS! Quem dera se todos da sua idade tivessem a mesma inteligencia e perspicácia que vc tem...
    Somente uma colocação faço, Daniel na cova dos leões não é uma parábola e sim uma historia verídica do antigo testamento.
    Creio que cabe somente a Deus julgar a conduta de cada um, e que não cabe a qualquer pessoa julgar a do Renato, o maior poeta da musica popular brasileira.

    ResponderExcluir
  49. sua análise é óbvia. o título remete à bíblia, claro. nada de mais. será? à primeira vista, isso não define o sentido final da canção, pois, Renato, utilizando o evento da Bíblia de uma forma alegórica em sua canção, faz uma releitura, e não justifica o que acontece na Bíblia, é o contrário. os trechos da sua análise apenas atestam essa relação, claro, a partir do título - mas, fora o que foi mencionado, ficou mais evidente ainda a concepção homoerótica da canção, porque: o leitor poderia se desviar da leitura, fazer uma referência de um amor feminino mal realizado, ora, os sabores doces e salgados estão no homem e na mulher, e a referência do espelho não justifica um outro corpo masculino. portanto, quando você remete à bíblia, aí você percebe que a relação que o Renato faz é o de entre dois homens, como Davi e Dário - e, como fica mais do que evidente, agora, uma relação profundamente homoerótica - pois, utilizando-se da bíblia como referência, ele acaba criticando, fazendo uma releitura da obra-referência, as concepções da bíblia no que diz respeito ao homoerotismo.

    visita meu blog para mais informações sobre mim:

    http://3gultimageracao.blogspot.com.br/

    f.g.m.

    ResponderExcluir
  50. Renato disse numa entrevista que certa vez ficou hospedado em um hotel, onde no criado mudo ao lado da cama havia uma Bíblia católica, de onde ele tirou algumas citações e idéias para suas composições. Ele declarou também que suas letras eram impessoais e que procurava não colocar gênero para que elas se encaixassem no cotidiano tanto dos homens como no das mulheres. Subentende-se também que ele usava este artifício para camuflar a sua orientação sexual, que ainda não era assumida no início da carreira. Podemos interpretar nesta música uma relação sexual seja ela hétero ou homo para qualquer gênero, tanto masculino como feminino onde no 1.o verso a relação começa com o sexo oral e termina dizendo que é isto não é o bastante sem o ato sexual, que se inicia no 2.o verso onde se vence a barreira da insegurança que ataca a pessoa que perde a virgindade e é guiada por uma pessoa mais experiente. Neste contexto o verso final poderia ser interpretado como um questionamento do por que de as pessoas insistirem em se mastubar quando poderiam fazer sexo livremente com outras pessoas, mas não o fazem por não enxergarem essa possibilidade, por se afogarem nos seus medos e preconceitos, o que justificaria o título da música, estar preso numa cova com leões. Ser um barco a motor e insistir em usar os remos é não estar consciente de sua própria força. Se deixar afogar por não enxergar o salva vidas é deixar de viver plenamente por não procurar o socorro em outros braços, por estar preso às suas próprias limitações. Ser um "Daniel na cova dos leões" é ser uma pessoa presa aos limites impostos pela sociedade. Esta é a minha interpretação pessoal para esta música, lembrando que algumas letras de Renato Russo são passíveis de muitas interpretações, que variam de acordo com a visão e a experiência de vida de cada um.

    ResponderExcluir
  51. Galera, só pra avisar que eu cansei e que os possíveis futuros comentários que contenham a palavra homossexualISMO (quando o termo correto é homossexualidade) não serão aprovados e vão direto para a caixa de Spam.
    Não vou apoiar ou publicar nenhum comentário opressivo.
    E nem adianta vir com Voltaire pra mim.
    Sem mais!

    ResponderExcluir
  52. Olá, Thamirys.

    Gostei muito da sua interpretação para Daniel na Cova dos Leões. Mostra inteligência :)
    Particularmente, creio que trata-se da descrição de um relacionamento homoafetivo, porém Renato Russo criava letras tão bem elaboradas que mais de um assunto pode ser abordado em suas criações.
    Parabéns pelo blog, não conhecia e gostei muito.

    ResponderExcluir
  53. Achei muito interessante sua interpretação Thamirys, pode ser até que ele tratava a música das duas formas, mas ainda acredito que essa letra deixa muito claro sobre uma relação homossexual, frase a frase é possível perceber. Parabéns, abraço Fernando

    ResponderExcluir
  54. Bacana o blog, parabéns...
    Vou discordar da maioria dos internautas no sentido de que não há certo ou errado... Isso é poesia e de excelente qualidade... Por isso não posso dizer que o colega está errado, ou certo. O Renao é o máximo... Mas, sinceramente, gosto mais da interpretação de que ele se refere ao uso da cocaína... Não quero ser minucioso, mas vou citar uns trechos: qnd vc põe a droga na boca, ele tem sim um "gosto amargo" e tem ainda um cheiro forte... "Fez casa dos meus braços", o ato de injetá-la... "O teu corpo é o meu espelho e em ti navego, eu seu que a tua correnteza não tem direção": muitos usuários usam um espelhinho para fazer a carreirinha e assim sorver o pó...etc e por aí vai... Certa vez conheci um cara em ponto de ônibus e ele me deu essa interpretação, que achei bárbara... Mas, poesia é assim mesmo... Não tem certo ou errado, apenas interpretação pessoal...
    Abs!

    ResponderExcluir
  55. pelo nome da musica dis tudo quem sabe a musica tem triplo sentido

    ResponderExcluir
  56. Brilhante, sem palavras! Tinha partes da musica que eu nem sabia, uma das minhas favoritas do legiao. E agora que estou desenvolvendo meu lado espiritual, nao vejo a hora de ler a parabola e compara-la ao seu texto. E disso que precisamos: de pessoas que PENSEM!!!

    ResponderExcluir
  57. Olá Thamirys.

    Queria primeiramente, lhe agradecer por preservar essa chama acesa, no que tange as interpretações das músicas do nosso poeta Renato Russo.
    Não há nada melhor que ficarmos discutido (no bom sentido), sobre o que o Renato pensava e empregava em suas canções.
    Porém me deixou muito triste o comentários de determinadas pessoas aqui neste BLOG.
    Um ódio mascarado de protesto, que não leva ninguém a lugar algum.
    Tenho certeza que a sua interpretação acrescentou muito para os amantes do som da Legião Urbana.
    Na minha cabeça mando eu interpreto a musica da forma que mais me agradar, porém vc me mostrou uma vertente muito agradável de se acreditar; QUE MAL TEM NISSO !!!!!
    É lamentável que pessoas intolerantes achem que suas opiniões ainda tem espaço nesse mundo.
    Parabéns mais uma vez, e não se deixe abater por esses comentários, até porque o Renato falava de ódio mas sempre exaltando o amor.

    ResponderExcluir
  58. Nossa!!! Estou admirada com esta interpretação!!! Realmente entendi e concordo com você!!!
    É admirável a inteligência do Renato!!!

    ResponderExcluir
  59. Meu primeiro contato com a musica foi por meio de uma fita k7. Lembro que no inicio tinha um trecho da musica Será bem baixo, parecendo ser gravado de um show ao vivo. Sempre achei que fosse problema da gravaçao, mas depois descobri que realmente a musica é assim, sempre me perguntei por que tinha este trecho no inicio' mas nunca achei algo a respeito.

    ResponderExcluir

-Todos os comentários estão sujeitos à moderação da administração do Blog Interpretação Pessoal;
-Para ter seu comentário publicado sem maiores problemas, recomendamos que leia a Política de Comentários do nosso blog.