Interpretação

Pessoal

Interpretações, Significados e Análises de Letras de Músicas

Salve a Legião | A Cruz e a Espada | RPM

A Cruz e a Espada

Havia um tempo em que eu viva
um sentimento quase infantil.
Havia o medo e a timidez:
todo lado que você nunca viu.

Agora eu vejo,
aquele beijo
era mesmo o fim.
Era o começo.
E o meu desejo se perdeu de mim.

E agora eu ando correndo tanto,
procurando aquele outro lugar,
aquela festa, o que me resta:
encontrar alguém legal pra ficar.

Agora eu vejo,
aquele beijo
era mesmo o fim.
Era o começo.
E o meu desejo se perdeu de mim.

E agora é tarde. Acordo tarde,
do meu lado alguém que eu nem conhecia:
Outra criança adulterada
pelos anos que a pintura escondia.

Agora eu vejo,
aquele beijo
era mesmo o fim.
Era o começo.
E o meu desejo se perdeu de mim.


     A Cruz e a Espada, grande obra de arte do Paulo Ricardo e do honroso Luiz Schiavon, fez na voz do grandioso Renato Russo enorme sucesso, embora eu a prefira na voz do Paulo Ricardo.
     Talvez muita gente não perceba a profundidade e, principalmente, a tristeza que há nessa música. Mas é ela uma das mais melancólicas músicas, por tratar, com tanto mérito, da "nossa grande geração perdida, dos meninos e meninas" (Natália, Legião Urbana). É uma música que trata de quem não tem um grande futuro.
     Digo, geralmente, que essa música trata daqueles meninos e meninas que dão bastante trabalho aos pais, daqueles meninos e meninas que já são conhecidos nas delegacias próximas, daqueles meninos e meninas dos quais não sabemos paradeiro. Mas, além disso, essa música fala do vazio, fala do vazio de uma vida de prazeres momentâneos, mas que logo somem e transformam-se em depressão.
     E por tratar de algo tão próximo ao que sentia, acredito eu, Renato Russo decidiu interpretar essa canção, fazendo-o da maneira tão célebre como fez.
     Como já disse por aí, certas vezes os compositores escrevem por meio de uma história, escrevem realmente um roteiro de cinema. Como essa música é assim.
     A Cruz e a Espada conta a história de algum jovem. Já na primeira estrofe, esse jovem (homem ou mulher) fala de sua vida, fala da fragilidade e da não tendência a se tornar uma pessoa que dizemos não ter um grande futuro. Talvez ele esteja contando sua história para alguém.
     A terceira estrofe ainda fala sobre a vida do jovem, aliás, toda a música fala. Mas agora ele fala de sua vida após o fato que o transformou, de garoto(a) bom e civilizado, num grande rebelde com ou sem causa. Trata-se do desespero e do anseio de sair de uma vida amargurada e da acomodação de achar que já não pode fazer muita coisa.
     Em relação à quinta estrofe, a mais inteligente para mim, descrevo frase a frase.
     "E agora é tarde" - É tarde para tentar mudar alguma coisa. Já não temos mais jeito ou solução. Somos casos perdidos e ninguém conseguirá mudar nosso fim.
     "Acordo tarde" - Está aqui no sentido real de acordar tarde.
     "do meu lado alguém que eu nem conhecia:" - Aqui também há o sentido real. Refere-se à acordar ao lado de alguém, qualquer pessoa, ou seja, depois do sexo, de manhã, perceber que sequer conhece (conhecer no sentido de saber a fundo sobre a pessoa) a pessoa com a qual praticou o ato sexual, apenas por prazer.
     "Outra criança adulterada" - Sabe-se apenas que aquela pessoa é outra criança perdida, outro jovem que não deveria estar ali, como ele também é.
     "pelos anos que a pintura escondia." - Outra criança escondida em meio a uma maquiagem (pintura) pesada e vulgar, que tenta disfarçar a pouca idade de uma criança.
      Deixei o refrão por último, e isso foi propositalmente. Isso em função do resto da música acabar deixando-o insignificante e o explicando por si só. O refrão resume-se em fazer referência a um fato (não precisamente um beijo) que deu fim a uma etapa de uma vida e início a outra, onde o desejo e os instintos eram mais importantes do que tudo.



Vídeo retirado do Canal de Velarck
no youtube


Baixe a música A Cruz e a Espada pelo 4shared

# Compartilhar

    Blogger Comentario
    Facebook Comentario

7 comentários:

  1. Putz, eu ainda não tinha visto essa música desse jeito, com um significado tão triste. Eu num sabia o significado da música, mas pensava que fosse algo alegre, ou alguma coisa assim...

    ResponderExcluir
  2. Como sempre Paulo Ricardo emocionando...
    e com o célebre Renato o resultado só poderia ser esse!
    Um dos poucos artistas que tem o dom de transmitir suas emoções...

    ResponderExcluir
  3. Havia um tempo, na adolescência, em que eu vivia um sentimento de amor, insegurança e medo em expressar esse amor. Eu admirava e amava a pessoa ao longe, e talvez eu fosse um pouco ingênuo. Pra mim era suportável que ela não me amasse, não estivesse comigo, desde que ela não amasse e não estivesse com ninguém. Certo dia, vi o meu grande amor beijando alguém. Todo meu desejo por quem eu amava foi substituído por uma imensa tristeza nesse dia. Foi o fim! Eu mudei! Rompi minha timidez, mandei danar-se o amor e procurei esquecê-la com alguém em uma festa qualquer. Eu renunciei ao amor, me entreguei ao prazer e aconteceu com alguém que eu nunca tinha visto até alguns minutos antes. Era uma adolescente, que não tinha experiência alguma de vida tanto quanto eu. O ocorrido forçou um casamento. Um casamento entre duas pessoas que não se amavam. Quanta infelicidade! E tudo isso por causa de um beijo.

    Acho que a música baseia em uma narração mais ou menos como essa acima. Não é real essa narração.

    ResponderExcluir
  4. @Seu Mundo Livre
    Com toda certeza, pode ser isso também! Quando escrevi o artigo também havia pensado numa teoria parecida com a sua. Enfim, obrigada pelo comentário.

    ResponderExcluir
  5. bom achei ótimo o seu campo de visão,é novo pra mim...bom, eu particularmente interpreto essa musica como uma possibilidade de que sim há alguém perdido.mais esse perdido pra mim vai em um aspecto mais profundo..penso eu ser de uma pessoa que se arrepende de uma vida de descontrole em (não se assustem) violência sexual.por isso diz aquele beijo era o fim era o começo e o meu desejo se perdeu de mim...sei lá sinto que ele desabafa uma dor de ter mais uma vez cedido a esse desejo.. sei lá uma interpretação meio forte não é? mais enfim...

    ResponderExcluir
  6. Da a impressão que ele "dormiu" com uma menina menor e só percebeu isso ao acordar.. a criança adulterada parece mais, uma menor, parece um caso de pedofilia...

    ResponderExcluir
  7. E uma narrativa da primeira pessoa para se abrindo contando o que acontece em sua vida, falando de um sentimento infantil imaturo onde o mesmo tinha o medo e a timidez,
    Falava de um beijo, beijo que se refere ao início e o fim, talvez esse beijo seja fruto de um adultério ele Pois ele se refere que meu desejo se desprendeu de mim
    Ao se referi ando correndo tanto procurando outro lugar, está se referindo onde o beijo aconteceu mais não se encontra mais, agora pela sede do de encontra aquele beijo vai procura em outro lugar outra pessoa para ficar,
    Agora é tarde acordo tarde, se deitou em outra cama e mais uma vez seu sentimento infantil lhe derrubou ao trecho que se refere sobre uma criança adúltera que a pintura se esconde, está dizendo que mais uma vez se deixo envolve por um sentimento infantil, a pintura se refere que todavia ele se esconde através de um rosto pintado a sua facilidade

    ResponderExcluir

-Todos os comentários estão sujeitos à moderação da administração do Blog Interpretação Pessoal;
-Para ter seu comentário publicado sem maiores problemas, recomendamos que leia a Política de Comentários do nosso blog.