Interpretação

Pessoal

Interpretações, Significados e Análises de Letras de Músicas

Salve a Legião | Clarisse

     Quando se fala em Renato Russo, muitos podem associá-lo, instintivamente, à melancolia. E os milhares de fãs alucinados que esse homem conquistou na vida talvez não gostem muito dessa idéia, mas eu, na condição de também grande fã do Renato Russo e da Legião Urbana, não me importo com isso.
     O que todo mundo precisa entender é que a música é a representação dos sentimentos e sensações humanas, e a Melancolia, na categoria de estado humano, pode e deve ser representada numa música. E Renato Russo fazia isso brilhantemente, sendo, na minha opinião, sua maior representação da melancolia (e não apenas da melancolia, mas de outros estados psíquicos), a canção Clarisse.

     Essa, definitivamente, não é uma música fácil. Não é uma música de amor, como Hoje a Noite Não Tem Luar, não é uma música de protesto, como Que País é Este? e também não é uma música que retrata a sociedade, como Natália. Essa música não se encaixa em nenhuma categoria de músicas, é única, nela Renato Russo retrata apenas uma pessoa e ele mesmo.
     Primeiramente, Renato Russo relata, por meio de um eu lírico que suponho e chego a ter quase certeza que é ele mesmo, o cansaço, a dor que sente alguém em início de depressão, embora ainda não saiba da doença. E eu acredito que as palavras relatadas na primeira estrofe da canção não são fictícias.
      E o que me leva a crer na realidade dos fatos relatados por Renato é a coincidência que há com os fatos da sua vida pessoal: a internação numa clínica, a incompreensão das pessoas em relação a si, os pensamentos tristes e diferenciados de todos os outros.
      Daí então, o eu lírico começa a contar uma história, a história de Clarisse.
      Clarisse, aquela que corta os pulsos, que mutila a si mesma e, assim mesmo, não sente dor. Não sente dor, pois a dor psíquica que sente já é bem maior do que toda dor física do mundo que ela experimenta sentir.
     Clarisse, aquela que sofre pela dor do mundo e não pela sua. Ela percebe o estado em que o mundo se encontra, percebe que não há mais jeito para a humanidade, que as pessoas são más, que o mundo está acabando e então, de que serve uma vida maravilhosa? Por isso vive em dor, embora ninguém compreenda isso.
     Clarisse, aquela que perde os amigos em ocorrências policias, que não tem uma vida tão fácil como todo mundo.
      Clarisse, incompreendida, tratada como doente, e sabendo que ninguém entende que a depressão não é apenas uma doença, mas, além disso, um jeito diferente de ver as coisas, uma visão da realidade nua e crua, sabendo que não é apenas uma doença, mas uma dor imensa que sente, além de por si, pelo mundo.
     Clarisse, aquela que vive com o auxilio dos antidepressivos e dos calmantes, que sem eles não está mais dopada e, voltando a si, sente outra vez a dor, o desejo da morte e a própria "essência estranha do que é a morte", "mas esse vazio, ela conhece muito bem", afinal, vive uma vida morta quase o tempo todo.
      Clarisse, aquela que já passou por tantos tratamentos, mas que sabe que nada adiantará, pois a sua razão de estar "doente" não mudará com tratamentos psiquiátricos. "O mundo continua sempre o mesmo". O mundo continua sendo "um mundo onde a verdade é o avesso e a alegria já não tem mais endereço".
      Clarisse, aquela que já passou por tantas coisas em sua vida e que, assim como um pássaro trancado numa gaiola, jamais conseguirá voar como antes. Mas que sabe que um dia, talvez um dia, vai encontrar uma saída pra tudo, o mundo vai ser bom, e as pessoas serão boas, e conseguirá voar pelo caminho mais bonito, viver uma vida viva e já não mais morta.
      E é o fato da personagem mais citada na letra (Clarisse) ter nada mais que catorze anos que faz dessa música uma canção tão triste.
     "Clarisse só tem catorze anos".

# Compartilhar

    Blogger Comentario
    Facebook Comentario

36 comentários:

  1. simplismente brilhante. clarisse é a música mais triste da legião urbana (conseguindo superar inclusive a´"via láctea") e uma das músicas mais melancólicas de todos os tempos. Só mesmo um gênio poderia ser capaz de escrever uma letra de tamanha sensibilidade, a ponto de nos fazer chorar quando escutada. A última frase da música é avassaladora.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. GÊNIO!
    Legião Urbana foi uma das bandas que mais marcaram a adolescência nos bons tempos. E não só os adolescentes como também os adultos. Belo post Thamirys.

    studiomusicblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. parabens pelo post. maravilho., legiao é a melhor banda do mundo

    ResponderExcluir
  5. Parabéns. Você conseguiu captar realmente o que Renato quis dizer. Ou não. Não sei bem. Mas é isso que eu vejo também. Essa música, retrata, a dor psicológica, e o quanto é difícil suportar.

    ResponderExcluir
  6. Respostas
    1. Também sou Clarisse.

      Excluir
    2. Sou Clarisse, sou um pássaro preso esperando um dia para fugir e recomeçar.

      Excluir
  7. Bom, o que diz bem nessa música é na verdade um transtorno psiquiátrico no qual era vivido pelo próprio Renato,TPB ou TLP (Trantorno de Personalidade Borderline ou Transtorno Limítrofe de Personalidade).Ele descreve com a mais alta clareza.. Fica praticamente óbvio, só quem não entende de Psicologoa e Psiquiatria os TIPOS de transtornos psiquiátricos que nunca vai saber.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Pilha Border!
      Bem, tenho só quinze anos (e dizendo isto quero dizer que reconheço a imaturidade de minha pessoa). Não entendo nem de psicologia nem de psiquiatria. É uma pena! Só o que eu sei é gramática e literatura... Ainda assim, obrigada pelo comentário! Fico feliz!

      Excluir
  8. Essa musica me faz lembrar tanta coisa que eu passei e que ainda passo. Esse vazio, dor cansaço... A pratica de auto-mutilação a falta de atenção é realmente triste pois ainda tenho 14 anos. Renato Russo é um grande gênio eu admiro ele muito e sou fã também, mesmo não sendo da época. Enfim adorei a ''explicação'' da musica vamos dizer assim. (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "As vezes as coisas são difíceis, minha(meu) amiga(o), mas você sabe enfrentar a beleza dessa vida".
      É difícil se identificar com "Clarisse", meu caro anônimo. Mas isso não deixa de ter seu lado bom. Seja forte, pq eu sei que você tem força pra isso.
      Eu entendo bem a sensação da falta de sentido das coisas, das pessoas que parecem que não enxergam o que está bem nas suas caras. E a gente fica assim, se sentindo só... Pq se eles não notam, de que servem estar ali do lado?
      Mas entenda, aprendi algo com esse blog, se você quer ser compreendido, se faça compreender.
      Quanto aos teus poucos catorze anos, são catorze anos apenas na identidade. Essas dores, essas questões são de quem já nasceu com uns quarenta ou mais... Ou de quem, por algum motivo, "a cada hora que passa envelhece dez semanas".
      Obrigada pelo comentário!

      Excluir
    2. Amigos, sou fã de Renato também, mas é difícil se ver nessa situação e aceitar isso, esse sentimento de culpa. Que na verdade não muda nada.
      Até por que, isso foi experiências dele. É louvável e bom fazermos essas analogias introspectiva.

      Excluir
  9. post perfeito, explicou tudo o q eu queria saber sobre essa musica, muito bom ^^

    ResponderExcluir
  10. cara vc disso tudo!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  11. a possibilidade do Renato ter sido portador
    do Transtorno Borderline explica muita coisa.
    O léve desespero, a auto-mutilação
    (expressos em Clarisse e "Indios", por exemplo)
    a necessidade de um alivio imediato,
    o flerte continuo com a melancolia e a morte..
    E o trecho "os homens que se esfregam nojentos.."
    remete á uma das principais causas desse transtorno,
    o abuso sexual,
    cerca de 75% dos Borderlines
    sofreram abuso sexual..

    ResponderExcluir
  12. Mesmo Renato Russo não estando mais entre nós , ele estará sempre vivo nos nossos corações !

    ResponderExcluir
  13. Muito lindo,essa é minha música preferida

    ResponderExcluir
  14. Olá,lindo post!Eu mo "Clarisse" tipo muito,e vc relatou tudo o que a música realmente mostra,eu tenho o mesmo conceito quanto ao EU lírico dela,parabéns!
    Eu me encontro ultimamente como uma "Clarisse",idade,dores,até com C meu nome começa--' eu compreendo a música e a dor do eterno poeta Renato por sentir essa dor também.
    Parabéns,amei o post
    Eu sou um pássaro,me trancam na gaiola...Mas um dia eu consigo existir,e vou voar pelo caminho mais bonito!
    C****** só tem 14 anos....♫

    ResponderExcluir
  15. Clarisse, simplesmente perfeita.. posso dizer q me encontro nela, as pessoas nao entendem, o mundo nao entende...a musica é o unico encontro,é a unica certeza q talvez amanha seja melhor... Cortes, lagrimas, incompreensao, e medo do mundo, da vida..a certeza q ser triste sera a sua cina, até o dia q ela nao aguente mais, e destrua o q le resta o seu coraçao batendo...talvez assim consiga ser feliz"...:( :(

    ResponderExcluir
  16. Concordaria com tudo se não fosse pelo final, que eu, na minha triste ignorância, entenderia de uma outra forma a frase ... " mas um dia eu consigo existir e vou voar pelo caminho mais bonito...": entendi, neste ponto, que finalmente iria morrer e então ficaria livre de toda esta escória. Entendo desta forma porque esta letra me descreve e é assim que vejo o fim de tudo.
    Abraços. Que Deus seja sempre louvado.

    ResponderExcluir
  17. Também me vejo em Clarisse, aliás muito mais do que realmente gostaria... os abusos, as auto-mutilações, as inseguranças, as incompreensões, o vazio... o flerte eterno com a dor e a morte (como disseram), os remédios (um mal necessário). Apenas gostaria de dizer para aqueles que se declaram muito jovens aqui... procurem ajuda, não façam como eu que passei minha infância sofrendo para só agora com 30 (e depois de surtar) procurar ajuda. é muito mais difícil, é muito mais doloroso, as marcas internas e externas são maiores, mais profundas. Fico triste e ao mesmo tempo reconfortada de ver que não somos sós na nossa dor, não sei se isso é bom ou mal ... mas é assim. Que vocês encontram a paz de espírito que tanto precisamos !

    ResponderExcluir
  18. Sinceramente, acho que O Renato Russo se inspirou com essa música, tanto partindo dele, quanto do retrato da época, da moça da Alemanha, Christiane F., que aos 14 havia se tornado tudo isso que retrata na música.

    Se alguém tiver a chance de pesquisar mais sobre essa moça, ou ver o Filme: Eu, Christiane F -13 anos, drogada e protituída., vai poder notar a semelhança na historia dela e da musica do Legião.

    É claro, nada disso muda o fato de que o Renato Russo possa estar tambem escrevendo sobre si mesmo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já assisti o filme, VictorX. Há certa semelhança? Pode ser que sim. Mas eu penso que a violência vivida em Clarisse é diferente.

      Entendo que, bom ou ruim, o destino de Christiane foi escolhido. Clarisse me parece mais como uma menina que sofre abuso sexual. E o contexto de toda a história me soa bem brasileiro. Christiane tem a ver com drogas, Clarisse, violência.

      É complicado. Eu não enxergo Christiane aqui. Enfim, obrigada pelo comentário.

      Excluir
  19. "os homens que se esfregam nojentos no caminho de ida e volta da escola"
    Pra mim a música fala sobre a violencia sexual sofrida por muitas meninas e mulheres que na música são representadas por Clarisse de apenas 14 anos

    ResponderExcluir
  20. Gente eu Amo a Legião Urbana hj eu tenho 34 anos,e quero muito que meus filhos gostem tanto quanto eu...
    Eu tbm já tive meu momento Clarisse mais passou foi só uma fase.
    Agora o momento é Antes da Seis lindaaa
    Levo sempre comigo.

    ResponderExcluir
  21. Renato Russo se mutilava? Sou fã, porém pesquisei em muitos lugares, e nunca encontrei nenhuma resposta convincente...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se frequentemente, mas creio que sim, já tendo, inclusive, tendado suicídio algumas vezes. Essa informação você pode encontrar no Por Toda Minha Vida - Renato Russo, que mencionei na interpretação da música "Índios".

      Excluir
  22. Pode até ser que sou nova, pode até ser que não tenha ainda vivido, pode até ser.. Mas de uma coisa sei, algumas dores não são de "acidentes", eu mesma já causei em mim. Tendo força consegui sair do mundo fechado e da dor que sentia, mentia muitas vezes, para família e amigos beleza mental e verdades inexistentes para deixá-los felizes, acho que a imaturidade de alguém não a leva para o abismo, mas sim sua falta, seja qual for, de esperança, de convívio (desta me fazia muito), enfim, pena pensar que um dia poderia ser, em bocas alheias, a depressiva da família. Acho que Renato era/é meu cantor preferido, ele compunha, como esta, tudo o que descrevestes, me emocionei muito ao ler, e quando botei o vídeo para ver, fui aos prantos, sinceramente muitos de meus amigos são assim, eram.. Na verdade, antes não demostrava meus sentimentos como hoje, não por não querer. mas sim por ser mais uma dor, tanto em mim quanto alheia.

    ResponderExcluir
  23. Eu sou a Clarisse. :)

    ResponderExcluir
  24. Clarisse Existiu de Verdade?? Ou só foii uma personagem?? Sempre tive essa dúvida

    ResponderExcluir
  25. Clarisse, na minha opinião, nada mais é que a própria personificação do Renato Russo qdo jovem e toda sua vida: tentativas de suicídio, drogas, alcoolismo, o homossexualismo e o tabu de ser aceito, a depressão ao descobrir a AIDS e algumas nuances de críticas ao cotidiano que ele sempre fez.
    E Clarisse só tinha 14 anos.....logo.......Legião surgiu em 1982 e Renato se foi em 1996.....que coincidência hein?
    UM GÊNIO

    ResponderExcluir
  26. "Clarisse" era o próprio Renato Russo.

    ResponderExcluir
  27. O LEGIAO URBANA VAI ACABAR COM A AGUA DO MAR UMA MENSAGEM QUE VEIU COM A CAPSULA DO TEMPO DE 1900 PARAR AQUI NA DECADA DE 2020

    ResponderExcluir
  28. uma curiosidade : a música pais e filhos narra a historia de um suicido, sendo que já foi considerada pelo próprio Renato uma música bastante triste ...mesmo assim ele gostava da maneira como as pessoas interpretavam a música do seu jeito.

    ResponderExcluir

-Todos os comentários estão sujeitos à moderação da administração do Blog Interpretação Pessoal;
-Para ter seu comentário publicado sem maiores problemas, recomendamos que leia a Política de Comentários do nosso blog.